Presidente Marcos Antônio de Néo - Foto: Divulgação / Câmara Municipal de Umarizal

O vereador Marcos Antônio de Néo afirmou na sessão desta última terça-feira, 18, que durante seu mandato como presidente da Câmara Municipal de Umarizal sofreu discriminação por conta do seu grau de escolaridade e por conta da sua cor de pele.

“Fui discriminado várias vezes nessa casa devido ao conteúdo da minha linguagem. Aqui nessa casa eu tive de ouvir até que sou analfabeto”, afirmou o presidente. “Problemas de discriminação que eu tive aqui também por conta da minha cor”, acrescentou Marcos sem citar nomes.

O parlamentar disse que ano que vem pretende fazer faculdade. Ele disse ainda acreditar que no ensino superior não sofrerá das mesmas discriminações que lidou na Câmara.

“Vou cursar faculdade de Engenharia Civil pra mostrar para aqueles que dizem que sou analfabeto. Tenho certeza que quando eu for cursar essa faculdade, lá eu não serei discriminado por conta da minha cor”, asseverou o vereador.

Marcos disse que durante sua presidência buscou agradar a todos os vereadores. Ele também disse que não acreditava que poderia se tornar chefe do legislativo. “Reconheço que diante dos senhores vereadores eu era pequeno pra assumir esse cargo. Ele poderia ser pra qualquer um, mas não para Marcos. Vários não ficaram satisfeitos de eu ser presidente por eu ser humilde, porque sou de família pobre, por ser da rua nova. Talvez por isso a rua nova me elegeu”, ponderou.

Apesar do desabafo, Marcos disse que deixa a presidência após a eleição marcada para o próximo dia 26 de dezembro com a sensação de dever cumprido. “Agradeço a tudo. Eu estou muito satisfeito. Tenho muito é que agradecer e agradecer todos os dias pela oportunidade que os senhores me deram”, finalizou.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here