Polícia procura 17 homens que fugiram de penitenciária em Araguaína

A maior parte dos detentos cumpria pena por latrocínio e roubo, segundo agentes da delegacia local

81
DR

Dezessete presos que fugiram da penitenciária Barra da Grota, em Araguaína (TO), há dois dias, continuam foragidos, mas não há mais reféns.



Na tarde de ontem (3), a professora Elisângela Mendes Sobrinho e o chefe de plantão do presídio, Roberto Aires, foram deixados no povoado conhecido como Água Amarela, a cerca de 7 quilômetros da cidade. Eles ficaram mais de 24 horas em  poder dos foragidos.

Elisângela e Roberto Aires eram as últimas pessoas feitas reféns durante a rebelião que ainda estavam sendo procuradas pela polícia. Um dos presos que estava ferido também foi encontrado no local.Outros dois agentes penitenciários foram levados pelo grupo durante a fuga, mas conseguiram escapar no mesmo dia depois de um tiroteio. No confronto com policiais, dez presos foram mortos. Ao todo, eram 28 fugitivos.

Policiais militares e civis e agentes da Secretaria de Segurança Pública de Tocantins continuam as buscas. A maior parte dos detentos cumpria pena por latrocínio e roubo, segundo agentes da delegacia local. Com informações da Agência Brasil.


DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here