“Casos de leishmaniose vão diminuir, mas requer tempo”, confirma veterinário do município

0
61


Pela primeira vez na história de Umarizal, está sendo realizado um trabalho de apreensão de cães soltos na rua e promovida ações enérgicas de combate ao calazar. O destaque foi colocado pelo médico veterinário do município, Rafael Duarte, durante audiência pública para debater a questão da leishmaniose realizada nesta quarta-feira, 23, na Câmara Municipal.


“Nunca foi apreendido nenhum animal de rua em Umarizal, e agora a gente vem apreendendo. É louvável o trabalho da vigilância sanitária em Umarizal”, disse o médico.


Apesar dos esforços da Secretaria Municipal de Saúde, Rafael disse que o trabalho de combate à doença requer tempo. “Os casos vão diminuir, as ações vão começar a surtir efeito, só que requer tempo mesmo, pois não se pode eliminar todos os mosquitos. É um trabalho diário e a gente já vem colhendo frutos”, acrescentou.


Segundo Rafael, o trabalho do governo municipal contra a leishmaniose começou em 2017 no bairro Caraíbas. Antes disso, o município passou doze anos sem ações de combate a doença.


“Foram 12 anos da leishmaniose esquecida em Umarizal, 12 anos sem um único teste realizado. A realidade é essa. A gente pegou a bomba meio armada, mas ela já havia explodido antes, pois houveram casos humanos, um deles no bairro Caraíbas. O bairro inclusive foi o precursor de todo esse trabalho. Foram 200 testes em 20 dias em 2017, e 70% dos animais estavam infectados”, destacou.