Reuters / Jose Luis Gonzalez / 4.1.2018

Um casal mexicano foi preso nesta quinta-feira (4) carregando restos humanos em carrinho de bebê. Eles confessaram à polícia que mataram 20 mulheres.




A dupla também é acusada de ter vendido uma criança de dois meses, que já foi localizada e devolvida à avó. As informações são do jornal El Universal.

Em um audiência realizada neste domingo (7), foram reveladas as identidades de três das vítimas: Arleth Samantha, Evelyn e Nancy Nohemí, que foram dadas como desaparecidas em abril, junho e setembro.

De acordo com o jornal, em seu depoimento, o homem admitiu ter estuprado algumas das mulheres antes de matá-las e vender seus restos humanos, assim como os pertences.

Roupas e restos humanos foram encontrados na casa onde o casal morava, mas análises ainda estão sendo feitas para que a polícia consiga mais informações sobre as vítimas.

Problemas psiquiátricos

Segundo o jornal, exames psiquiátricos realizados pelo Ministério Público mexicano apontaram que o rapaz apresenta transtorno mental como psicopatia e transtorno de personalidade e a mulher apresenta um retardamento mental de nascimento e um delírio induzido. Apesar do diagnóstico, foi constatado que ambos conseguem distinguir o “bem” e o “mal”.

O casal foi preso em Ecatepec, um município do México, enquanto tentavam transportar restos mortais em um carrinho nesta quinta-feira (4) e permaneceram presos na prisão estadual de Chiconautla até que toda a investigação seja concluída.


DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here