O RJTV mostrou, na edição desta segunda-feira (10), imagens de câmeras de segurança que registraram bares e estabelecimentos do Rio sendo alvo de criminosos. Os suspeitos chegaram a fazer cerca de 100 vítimas em uma noite praticando os assaltos.

Os flagrantes mostram homens com facas, pistolas e fuzis. Eles aparecem ameaçando e agredindo clientes dos comércios. Por causa da violência, algumas pessoas desistiram de frequentar esses locais e a queda no movimento chega a 40% em determinados estabelecimentos.

A cantora Lisbeth Monteiro trabalha em bares de Vila Isabel, na Zona Norte do Rio há mais de 20 anos. Por causa dos constantes assaltos, ela teve que fazer alguns ajustes na sua rotina de trabalho.

“Como é que vou cantar na madrugada? Voltar como antigamente, a boemia. Os bares estão fechando. Vários bares fecharam na Vila e a gente também acaba botando nosso trabalho para mais cedo que é uma forma de tentar sobreviver”, afirmou a cantora.

Imagens de câmera de segurança mostram consumidores em pânico, criminosos invadindo os locais armados e grupos usando fuzis. A Delegacia de Roubos e Furtos prendeu mais um dos ladrões envolvidos numa sequência de assaltos.

“Só estabelecimentos comerciais, foram cinco estabelecimentos comerciais que foram roubados por esses elementos e as pessoas que estavam nesses estabelecimentos comerciais. Então são dezenas, foram três bares, um posto de gasolina e uma barraca que vende churrasco na rua que foram roubados por esses elementos”, afirmou o delegado que investiga o episódio, Hilton Alonso.

Um levantamento do Sindicato de Bares e Restaurantes (SindRio) mostra que só na rua 28 de setembro 68 comércios fecharam as portas nos últimos meses. “As pessoas têm ficado mais receosas em algumas áreas da cidade de sair de casa, então acabam buscando outros tipos de entretenimento, e reduz a circulação nos bares. Eles acabam fechando mais cedo, isso gera desemprego, enfim, é um ciclo que não é interessante para cidade do Rio de Janeiro nem pro estado”, afirmou o diretor do SindRio, Léo Feijó.




Outras regiões da cidade também sofrem com a “onda de crimes”. Roubos a estabelecimentos comerciais cresceram 52% em Botafogo, 44% em Copacabana e 31% em Niterói.

Estudante leva facada após ser assaltado

Um estudante, que não quis se identificar, afirmou que conversava e bebia com alguns amigos quando os assaltantes chegaram. Ele afirmou que após ser roubado ainda levou uma facada de um dos suspeitos.

“Eu lembro que eu estava bebendo com uma amiga e aí pararam três carros e começaram a assaltar todo mundo. A primeira pessoa chegou com uma faca no meu pescoço, querendo meu celular. O segundo com uma arma apontada pra mim e foi quando deu um chute e eu caí no chão. E aí eu fiquei no chão porque se eu levantasse ali podia acontecer alguma coisa. Foi quando pegaram a minha carteira e enfiaram uma faca na minha perna”, contou o estudante.

No episódio, pelo menos 20 pessoas foram agredidas, ameaçadas e tiveram seus telefones, carteiras e relógios roubados. Os suspeitos arrancaram até a caixa registradora do estabelecimento.




Durante a sequência de assaltos, os criminosos levaram R$ 8,6 mil. Além disso, joias, celulares, cinco carros e duas motocicletas também foram roubadas. Ao todo, 14 delegacias foram acionadas por causa da ação dos marginais.