Sesed afirma que 67% das mortes no RN têm ligação com tráfico de drogas

Em menos de três meses mais de 500 pessoas foram mortas no estado. Secretaria de Segurança diz que Força Nacional ajuda nas investigações.

116
Em menos de três meses mais de 500 pessoas foram mortas no RN (Foto: Emmily Virgílio/Inter TV Cabugi)

Das mais de 500 mortes já registradas neste ano no Rio Grande do Norte, 67,3 % delas tiveram relação com o tráfico de drogas. É o que afirma a Secretaria de Segurança Pública e da Defesa Social do Rio Grande do Norte (Sesed). Até esta quarta-feira (15), o Observatório da Violência Letal Intencional (OBVIO), que monitora as mortes violentas no estado, contabiliza 503 assassinatos. A Sesed diz que foram 502.

Ainda sobre a quantidade de mortes registrada neste ano, a Sesed afirmou que “o apoio às investigações de CVLIs, inclusive, também já começou, com o levantamento de dados e planejamento estratégico para investigação de homicídios, realizado em apoio à Polícia Civil potiguar. Equipes da Força Nacional – são 23 da polícia judiciária e 6 peritos – já estão, respectivamente, estudando inquéritos e confeccionando laudos”.

As mortes mais recentes foram registradas entre a noite da terça-feira (14) e madrugada desta quarta. Pelo menos cinco pessoas foram assassinadas somente na Grande Natal. E uma sexta vítima tombou na cidade de Caicó, na região Seridó.

Em São Gonçalo do Amarante, os alvos foram dois jovens: Jaime Amaro da Silva, de 19 anos, e Daniel Barros Pinheiro da Silva, de 20. Ambos foram mortos a tiros no meio da rua. Eles estavam em um carrinho de lanches quando foram surpreendidos pelos assassinos.

Outros três homens foram executados na Zona Norte de Natal: Marcelo Alexandre da Silva, de 37 anos (morto no bairro Lagoa Azul), Adriano Silva dos Santos, de 27 (morto a tiros dentro de casa em Igapó), e Anderson Bezerra Fernandes, 24 (assassinado no Parque das Dunas).

‘Locomotiva de violência e morte’
Especialista em segurança pública e um dos coordenadores do OBVIO, Ivênio Hermes diz que considera os números “estarrecedores”, tendo em vista o curto período de tempo. “Quem vive no RN parece estar numa locomotiva de violência e morte, cuja letalidade está em alta velocidade, ceifando  antecipadamente vidas e chegando à casa dos 500 homicídios em 2017″, disse.

Em 2016, apenas no dia 6 de abril o OBVIO contabilizou mais de 500 mortes no RN. “2016, ano considerado o mais violento da história do RN, já começa a perder para 2017”, afirmou.

Também nesta terça, um sargento da Polícia Militar foi morto a tiros na rua Cícero Pinto, no bairro Lagoa Nova, na Zona Sul de Natal. Segundo a própria PM, o crime aconteceu em frente a um mercadinho que havia acabado de ser assaltado. A arma do sargento foi levada. Este é o 6º policial militar assassinado este ano no Rio Grande do Norte.




O número de homens que já foram mortos em 2017 é de 483; o de mulheres, 18. E há o caso de dois corpos que ainda não foi possível identificar o sexo. A arma de fogo foi o instrumento mais utilizado pelos criminosos: 426 pessoas foram mortas assim. Outras 56 foram assassinadas por arma branca, 7 por objetos cortantes, 8 por espancamento e 3 por asfixia.

Ainda de acordo com os dados do Observatório, a maioria dos assassinatos registrados aconteceu na capital. Veja os números:

Natal: 135
Parnamirim: 38
Ceará-Mirim: 37
Nísia Floresta: 30
Macaíba: 19
São Gonçalo do Amarante: 17
Extremoz: 13
São José de Mipibu: 9
Maxaranguape: 3
Monte Alegre: 3
Vera Cruz: 3