Por que o governo silencia sobre ataques policiais?

0
307

Coluna Fojo, Bornal & Balaú – Por Erick Guerra, o Caçador

Reprodução

Através de dezenas de filmagens e áudios feitos por membros de Facções Criminosas, e que circulam livremente nas Redes Sociais, há meses que a Sociedade Potiguar tem ciência de que há ordens expressas para atacar policiais, principalmente fora de serviço – quando estão mais vulneráveis.

Já está mais do que claro que o “salve” dos vagabundos a esse respeito está sendo rigorosamente cumprido, pois diariamente circulam notícias que dão provas irrefutáveis disso – tanto na imprensa formal, quanto nos posts das redes sociais.

Essas notícias mostram:

A) Ameaças a Policiais;

B) Famílias de policiais sendo expulsas de suas casas, mediante ameaça de morte;

C) Arrastões em residências de policiais ou assalto nos Logradouros públicos, que incluem humilhação, espancamentos e roubo de armas;

D) Assassinatos de policiais em circunstâncias diversas, incluindo durante o serviço ( ou imediatamente após a saída de serviço), dentro de casa ( durante a folga), em logradouros públicos e na jornada laboral extra do “bico” a que policiais se submetem por conta dos baixos e atrasados salários.



Diante da ostensividade dessa situação, fica o desejo de saber o que pensam e o que pretendem FAZER sobre o assunto as autoridades que constituem o Governo desse Estado, incluindo o Judiciário e o Legislativo… Mas o silêncio dessas autoridades estronda!

Ou será que o caos na Segurança Pública, nesse nem tão novo triste capítulo, desmerece a atenção do Ministério Público (que tanto se esmera para investigar a própria polícia), dos senhores políticos eleitos e magistrados ( que tem aparecido na mídia em torno de outros assuntos diversos), da Cúpula da SESED ( órgão diretamente responsável) e do próprio Governador Robinson Faria?

Robinson Faria, ele próprio ameaçado de morte pelas Facções Criminosas, cercado de policiais fazendo sua segurança, requisitou recentemente um carro blindado para seu transporte pessoal. O Estado comprou. Há pouco tempo, certa indisposição aconteceu em torno da permanência de uma viatura PM , em serviço, permanentemente parada na frente do condomínio de luxo onde o Governador reside, apesar de haver uma Segurança Particular do próprio condomínio. Disso tudo, podemos entender que há uma preocupação com a Segurança – pelo menos com a própria! Poderia o Senhor Governador tratar do assunto “Segurança de quem faz a Segurança”? Seria pedir muito um pronunciamento, que seja, sobre o tema?

Como já dito antes, o silêncio das altas autoridades estronda! Por mil bocas e postagens em redes sociais, se vê a impressão geral de que essas potências, que já abandonaram a população, agora viraram as costas para os Servidores da População ( funcionários públicos) – o que inclui os homens e mulheres que formam a Segurança Pública. Você que lê estas linhas, o que acha?

A população não aguenta mais tanto descaso e os Servidores Públicos estão em plena mobilização de protestos e greves. As categorias de Segurança Pública estão simplesmente revoltadas, indignadas, ultrajadas com o tratamento que lhe tem sido dispensado! As altas autoridades estão esperando mais o quê, com uma Guerra Civil nas ruas, os presídios comandando o caos e o funcionalismo à beira de uma greve geral por tempo indeterminado?

A Segurança de quem faz a Segurança deve passar a ser uma prioridade do Governo – ou então, teremos no Rio Grande do Norte a reedição do ocorrido no Estado do Espírito Santo: isso é o andar da carruagem!

Que Deus ilumine as cabeças das potestades, pois a classe policial está descendo à cova, junto com os irmãos mortos, a obediência servil a quem lhe explora com desprezo…

Se até os piores criminosos tem direito a dignidade e a vida, não se pode tratar diferente os Heróis Policiais, que são a única e insuficiente defesa de uma sociedade desarmada e dominada por bandidos!

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here