“Meu desejo é ser livre”, revela mulher que denuncia ter sido agredida e violentada pelo marido há anos

Vítima, que preferiu não se identificar, já pensou em tirar a própria vida

0
266

Uma mulher denunciou que vinha sendo agredida e violentada sexualmente pelo marido durante vários anos. A vítima, que preferiu não se identificar, já pensou em tirar a própria vida.

—Eu sinto vontade de morrer. Essa é a única vontade que me bate. Eu não sei nem porquê. Tem horas que eu me pergunto porquê eu estou aqui ainda?

No início do relacionamento, há seis anos, o homem demonstrava ser atencioso, parceiro e, aparentemente, perfeito. Apaixonada, ela decidiu se casar. Mas, a relação entre eles mudou depois do nascimento do filho.



— Com três meses ele mudou. Depois eu comecei a ver a mudança dele, a personalidade que ele é.

Desempregada e com três filhos, ela sempre voltava atrás na decisão de terminar o relacionamento, devido as promessas de mudança.

— O que me convencia era mais pelos meus filhos, porque quando ele prometia eu criava esperança.

Mas, a cada volta, o homem ficava mais agressivo e chegou a esfaquear a mulher no braço direito. Após a última denúncia na delegacia, o marido saiu de casa, mas prometeu voltar para matá-la: “você vai morrer igual a elas [outras mulheres]”.

A vítima contou que era obrigada a manter relações sexuais com o marido e, durante a prática do ato, levava puxões de cabelo, murros na boca e até facada.

Após tanta violência, a mulher precisou tomar vários medicamentos, inclusive tarja preta, e revelou que se sentia um lixo.

—Na rua, para as pessoas, é um cara até bom. Eu que sou a vítima passo a ser a ré e ele que é o homem bom.

Na Bahia, quatro ocorrências de violência contra a mulher são registradas por hora. O Estado possui 15 delegacias especializadas no atendimento as mulheres.

De acordo com a delegada Vânia Nunes, a sociedade machista contribui para as agressões, porque “o machismo ainda impera e, em função disso, as pessoas têm pouca tolerância e se agridem sem motivo aparente, uma causa maior, apesar de que nada justifica a agressão nem a violência”.

Diante da brutal violência que sofreu, a mulher esperava apenas se libertar do marido opressor.

— Meu desejo é ser livre, quebrar essas algemas que ainda está pegada em mim, tirar esse homem da minha vida. O sonho que tenho, que eu quero na minha vida, é a liberdade.




DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here