Existem 2 tipos de orgasmo feminino; descubra!

231
Reprodução

Kim Anami, coach de relações e sexualidade, defende que todas as mulheres podem ter todos os tipos de orgasmo. Mas vamos aos principais, os orgasmos clitorianos e os orgasmos vaginais. Sabe a diferença entre eles?

O site Super Ela destaca que geralmente é mais difícil conseguir ter um orgasmo vaginal – cervical ou através do ponto G – pois como é só através da penetração, a mulher pode sentir dor, desconforto ou falta de sensibilidade.

gifnovoA sensação que cada orgasmo provoca é muito diferente. Layla Martin explica que o orgasmo clitoriano assemelha-se a fogos de artifício, provocando uma explosão de sensações, desde contração e relaxamento em simultâneo até formigamento nos braços e pernas. O orgasmo pelo ponto G é mais leve e fluido, como ondas suaves que percorrem o corpo. O orgasmo clitoriano provoca uma certa eletricidade, pelo ponto G o elemento principal é a libertação de água. Já o orgasmo vaginal pode provocar a sensação de prazer por horas.

É preciso entregar-se completamente para ter orgasmos vaginais. O orgasmo clitoriano é muito mais mecânico e depende especialmente da estimulação; já para os orgasmos vaginais é preciso entregar-se, relaxar e querer sentir tudo.

Os orgasmos vaginais precisam de mais tempo de penetração. É preciso bastante estimulo interno, mais calmo e demorado: cerca de 30 minutos de penetração constante para conseguir orgasmos mais profundos.

Ter um orgasmo pela estimulação da vagina ou do ponto G pode despertar muitas emoções. Raiva, tristeza, desespero, gargalhadas, alegria, amor. O próprio processo para conseguir orgasmos mais profundos também passa por esse tipo de emoções, às vezes.

Do Notícias ao Minuto