Briga entre detentos termina com tiros e quatro feridos em PE

Segundo a Polícia Civil, a briga se deu entre grupos de alas rivais pouco antes de começar o dia de visita. Arma de fogo foi apreendida por agentes.

211
Confusão aconteceu no Presídio Juiz Antônio Luis Lins de Barros (Pjallb) (Foto: Marina Barbosa/G1)

Uma briga entre detentos do Presídio Juiz Antônio Luis Lins de Barros (Pjallb), que integra o Complexo Prisional do Curado, terminou com tiros e quatro presos feridos. De acordo com a Secretaria Executiva de Ressocialização (Seres), a confusão ocorreu na manhã deste domingo (16).

Segundo a Polícia Civil, a briga se deu entre grupos de alas rivais um pouco antes de começar o dia de visita. Três dos quatro feridos foram atingidos por tiros na região abdominal e ombro. O quarto se feriu ao tentar fugir dos disparos.

“No momento dos tiros, um quarto preso correu e pulou o muro para se abrigar. Ele feriu a mão ao tentar fugir dos tiros”, contou a delegada Gleide Angelo. Uma arma de fogo foi localizada e apreendida.

Os feridos foram socorridos e encaminhados para o Hospital Otávio de Freitas, na Zona Oeste do Recife. Três já foram liberados e um segue na unidade de saúde.




Uma equipe do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) foi até o hospital para colher depoimentos. Isso porque o caso está sendo tratado como tentatica de homicídio.

A arma e dois suspeitos de terem participado da briga foram levados para a delegacia. A Seres também não repassou o número total de presos envolvidos na confusão. Segundo o órgão, a situação na unidade prisional já foi controlada e as visitas ocorrem como de costume.

Vista aérea do Complexo Prisional do Curado, no bairro do Sancho, no Recife (Foto: Reprodução/TV Globo)

Vista aérea do Complexo Prisional do Curado, no bairro do Sancho, no Recife (Foto: Reprodução/TV Globo)

Armas

Mais que dobrou, no ano passado, o número de armas de fogo encontradas por agentes em inspeções em presídios do estado, em comparação com 2015. Segundo a Secretaria Executiva de Ressocialização de Pernambuco (Seres), foram encontradas 50 armas de fogo em 2016, contra 21 achadas no ano anterior, um aumento de 138%. No ano passado, representantes de organizações denunciaram a situação dos presídios e apontaram a permanência de violações dos direitos humanos.




Denúncias

A continuidade da superlotação do Complexo do Curado, no bairro do Sancho, na Zona Oeste do Recife, foi um dos problemas constatados durante a visita da comitiva da Organização dos Estados Americanos (OEA) durante inspeção realizada em junho do ano passado. Representantes de organizações que denunciaram a situação do presídio apontaram ainda a permanência de violações dos direitos humanos, apontadas desde 2011, por um grupo liderado pela Pastoral Carcerária do Estado.

A pastoral vem denunciando uma série de irregularidades na unidade, que envolvem danos à integridade física dos presos, problemas de saúde por falta de cuidados médicos e falta de segurança para os agentes, entre outras. A inspeção foi feita por juízes da Corte Interamericana de Direitos Humanos da OEA e representantes das organizações, acompanhados de equipes dos governos estadual e federal.